história

A Cooperativa Ouro do Sul foi criada em 29 de julho de 1935, originalmente como Cooperativa de Productos Suínos do Cahy Superior, por um grupo de 38 produtores rurais, cujo objetivo era industrializar os suínos produzidos pelos associados. Sua fundação está intimamente ligada a um contexto maior de cooperativismo entre os imigrantes alemães no Rio Grande do Sul, o que se iniciou em 1902, com a criação das Caixas Rurais - hoje o Banco Sicredi - pelo padre suíço Theodor Amstad.

A motivação para fundar a Ouro do Sul foi a dificuldade de transporte da produção suína para Montenegro, município localizado a 25 quilômetros de Harmonia. Na época, as estradas encontravam-se em condições precárias e a viagem poderia levar até dois dias.

Liderada pelo então primeiro presidente da cooperativa, Miguel Menz, a construção do matadouro tornou-se realidade e foi inaugurada em janeiro de 1938. A partir de então, a Ouro do Sul começou a industrializar a produção, que tinha como produto principal a banha.

Em 1943, já contava com o Serviço de Inspeção Federal e iniciava o abate de bovinos exclusivamente para o consumo dos associados.

No final da década de 1950, a popularização do óleo de soja impôs desafios à cooperativa, uma vez que forçou a diminuição do consumo de banha no preparo dos alimentos e prejudicou a suinocultura. Durante a ditadura militar, a partir de 1964, as condições agravaram-se, pois as políticas instituídas pelos militares desestimulavam o cooperativismo.

Na década de 1970, surgiram mais desafios. O governo federal impôs novas regras, exigiu a implantação de melhorias no matadouro e a construção de um novo sistema de esgoto - tudo com prazo de adequação de 90 dias. Em 1967, uma reforma tributária já havia retirado das cooperativas a isenção de impostos federais e, diante da nova realidade, foi preciso atravessar os obstáculos com auxílio dos associados e com o apoio de um empréstimo do BRDE.

Em 1980, mais dificuldades apareceram e, na década de 1990, foi preciso renegociar as dívidas junto a credores. Na ocasião, os agricultores emprestaram dinheiro e foram promovidos eventos, como bailes e festas, para arrecadar fundos. Na ocasião, foi assim que a cooperativa manteve-se firme e saudável: a partir da união e do espírito cooperativo de quem trabalha e se dedica para ela.

Mais de 80 anos após sua fundação, a Ouro do Sul é uma das cooperativas mais antigas do Rio Grande do Sul e continua a fazer diferença na vida dos seus associados e dos produtores rurais, contribuindo para o desenvolvimento da região do Vale do Caí e do estado.

GALERIA DOS PRESIDENTES

Miguel Menz
1935 a 1939

Antônio Scherer
1939 a 1950

João Alfredo Berwanger
1950 a 1957

João Hullen
1957 a 1974

Renê Vicente Vier
1974 a 1982

Lothário Hoerlle
1982

Hugo Amândio Keller
1982 a 1990

Theobaldo Valério Persch
1990 a 1994

Renato Kuhn
1994 a 1998

Theobaldo Valério Persch
1998 a 2018

Celso José Neis
2018 até o momento

TOPO